Eu odeio estar grávida!

Título sensacionalista e meio maluco né?! A intenção não é assustar vocês, mas eu me sinto no dever de compartilhar o amargo dessa fase (pelo menos pra mim). Aquelas coisas que ninguém te conta, sabe?!

Certa vez me deparei com uma citação da Kim Kardashian que dizia:

Vou ser sincera: A gravidez é a pior experiência da minha vida. Eu não gosto desse momento e não entendo como as pessoas gostam. “Eu não tenho certeza porque eu não gosto da experiência como as outras pessoas. As vezes é o inchaço, as dores nas costas, ou sua mente toda perturbada porque seu corpo aumenta e nada cabe em você. Eu sinto como se eu não estivesse na minha própria pele. É difícil de explicar. Eu não me sinto sexy, eu me sinto insegura e, na maioria das vezes, me sinto enjoada. Você sabia que basicamente temos que usar uma fralda por dois meses depois do parto? Ninguém me disse isso. Mas vou te dizer: por mais que eu realmente odeie todo esse sentimento de estar grávida, eu amo o desafio de ter o meu corpo de volta depois disso tudo. Me sinto recompensada. E, na real, tudo vale a pena quando você tem o seu bebê precioso em seus braços no final. Então, para todas as minhas reclamações, vale 100% e muito mais”.

Quando eu li essa declaração, eu ainda não tinha engravidado, mas eu pude “ter uma ideia” do que ela dizia… Entretanto, não era nada que eu pudesse afirmar com tanta certeza e nem e que eu passaria pelas mesmas situações. Diferente dela, eu não amo a idéia de depois de tudo ter “o desafio” de ter o meu corpo de volta, (na real, eu não queria nem que isso fosse isso um desafio). Mesmo porque, nós mulheres passamos por tanta coisa, que o mínimo esperado, era que o corpo voltasse o quanto antes, né?!

Muita gente diz: “Gravidez não é doença!” E realmente não é. Até certo ponto! Infelizmente a gravidez pode lhe trazer muitas complicações SIM! Temos enxaquecas horrendas, enjoos, dores ciáticas, dores devidas transformações uterinas, pubalgia, fascite plantar devido excesso de peso, pontadas na vagina, dores na bacia, na lombar, lidar com uma TPM de 9 meses e com um psicólogo que te sabota a todo momento, te fazendo pensar em inúmeras coisas malucas…

Não é doença? Não! Mas honestamente, imaginem conviver com esses “probleminhas” durante um longo período e estar super limitada a medicações? Lembrando que os remédios permitidos, são tão fraquinhos que muitas vezes nem fazem efeito. Conseguiram imaginar?

Existem grávidas, como minha mãe, que praticamente não tiveram nenhum desses sintomas. Mas como comparar o corpo de uma pessoa ao de outra?

Aqui, vou contar pra vocês a minha experiência e mais pra frente vou fazer um vídeo explicando melhor tudo que tenho feito para minimizar alguns sintomas. Da mesma forma que tudo nessa vida tem um lado bom e outro ruim, com a gravidez não seria diferente, né?!

Não gostar da gestação, ou não me sentir a mulher mais linda do mundo, não me faz menos mãe (nem a você), não me faz menos mulher (nem a você), não quer dizer que eu não ame minha bebê, ou que não fique curiosa para ver seu rostinho, segura-la em meus braços e digo mais: Que eu não reconheça o milagre que é gerar uma criança.

Tudo isso só quer dizer que eu detesto estar grávida e que eu gostaria que isso acabasse o quanto antes. Apenas isso! Agora vou contar alguns dos motivos (e são muitos) que eu não vejo todo esse floreio que as pessoas pintam sobre a gravidez:

Os Enjoos e a vontade eterna de fazer xixi

Passar o dia enjoada, sentir cheiro de comida e vomitar… Ter que passar longe de coisas que você costumava amar comer, não é nada legal. E conforme o bebê cresce, ele comprime nossa bexiga e consequentemente, passamos o dia todo com uma vontade louca de correr para o banheiro mais próximo! Muitas vezes sentimos vontade de fazer xixi, ainda no meio do xixi. Juro! Nunca imaginei que seria assim.

A fome

Como sentimos fome, fome e mais fome! Meu Deus!!! Sinceramente eu admiro aquelas mulheres que conseguem viver de uma dieta balanceada a base de frutas, legumes, poucos carboidratos, fibras e um pouco de proteína nessa época da vida.

Tem dias que quanto mais comemos, mais temos vontade de comer. Tem vezes que passamos o dia todo querendo comer o que vier, principalmente aquilo que provavelmente você não vai conseguir encontrar tão facilmente, ou milk shakes, hambúrgueres, sorvetes, chocolates, massas e etc…

Mudanças malucas no corpo, as roupas que não servem mais e o ganho de peso frequente

Puts! E agora? Nenhuma roupa serve mais, você começa a se olhar no espelho e não se reconhecer (MESMO), e tudo que você mais quer é “ser você” novamente. O corpo muda com-ple-ta-men-te! E aí vem a dúvida: O que vai ser de mim daqui pra frente?

Se você for igual a mim, vai engordar até com um copo d’àgua. O ponteiro da balança subindo cada dia mais e tudo que você quer é evitar o espelho, fotografias e “conhecidos” com aqueles comentários péssimos sobre o quanto seu numero aumentou, o quanto a “fulaninha” quase não tinha barriga e que quase não ganhou peso na gestação dela… Sim é incrível ter um bebê dentro de mim, mas é horrível não ter NENHUMA roupa pra vestir e ainda ter que ouvir essas baboseiras.

Se você é convidada pra uma festa ou pra um almocinho simples na casa da sua mãe, sabe qual será seu look? Calça de gestante (que esticam horrores), camisetas ou vestidinhos com aqueles shortinhos por baixo, para suas coxas não assarem devido atrito de uma coxa com a outra. Ah, e não se esqueça que no final da gravidez (no meu caso, do meio, para frente), só entram chinelinhos nesses seus pezinhos inchados, ou sapatos 2 ou 3 números maiores.

Os seios

Cara!!! Eu sempre tive muito seio (muito mesmo), apesar de ter um corpo magro. Mas meu amooor, o tanto que eles aumentaram nessa fase, chega a ser bizarro. Juro, se não derem uns 5kg cada um, eu chuto o balde, REAL! Eles deformam, ficam escuros, te dão uma dor infeliz nas costas e perdem totalmente a estética. Mais um motivo para eu não reconhecer a mim mesma.

Depilação, agachar, vestir-se e calçar sapatos

Esquece se depilar-se sozinha, vestir meias e sapatos com facilidade. Até as coisas mais simples como vestir uma calcinha, um shorts, pegar uma caneta no chão e se levantar de algum lugar sem se sentir uma tartaruga “emborcada”, se torna um mártir.

Mudanças de humor

Em um momento estamos rindo, no outro chorando, de repente gritando e logo em seguida chorando de novo. Ah, mas tudo bem chorar as vezes né? Não, não é só as vezes. Você vai chorar na frente dos seus amigos, da sua mãe, do seu marido, no restaurante, vai chorar até quando não conseguir andar mais depressa pra atravessar uma rua (sério)!

“Mas Shay, são só 9 meses… Logo tudo passa e você volta ao seu corpinho de antes”. AAAAH TA! Amooor, são 9 meses da gestação e acrescente pelo menos outros 9 (se você tiver a genética parecida com a minha), para conseguir voltar a ser o que era, com muita luta!

Inclusive, se você não  tiver a genética da Candice Swanepoel, você também vai ter que lidar com estrias, seus seios vão permanecer caídos, tua barriga vai ficar flácida e se engordou muito durante a gestação, terá que lidar com uns bons quilos a mais por bastante tempo.

“Mas tudo bem! Depois de tudo isso…” Como assim, “tudo bem”?

E o sono? E o sexo?

Cara, o sexo é complicadíssimo! Principalmente quando a barriga já está grandinha. Não há posição, seu marido começa a sentir “peso na consciência” (rsrs), você não se sente sexy e nada ajuda para que as coisas fluam normalmente. Péssimo!

Já o sono, também não há posição que ajude. A cabeça não descansa pensando em exames, entrar na faca, enxoval, no que falta comprar, na maternidade em sí, nas lembrancinhas do hospital, o bebê mexendo sem parar, preocupações do tipo: “Será que eu consigo”, “Meu Deus, eu mal sei cuidar de mim”, e etc… Nos primeiros dias, eu estava tão traumatizada, que passei vários dias dormindo em média 3h por noite, no máximo.

Resumindo, a gravidez pode ser uma coisa muito bonita. Afinal, a “beleza” da gestação esta apenas em estar grávida e não em se sentir linda e nem em plena forma física o tempo todo. A figura da mulher com um barrigão enooorme, olhando-se no espelho e não se reconhecendo – ao meu ver – não é legal!

Isso que eu nem mencionei os “experts de plantão”, querendo palpitar na sua vida e te dizer o que fazer, como fazer e atormentando o quanto podem. Bom…

Por fim, creio que o meu barato nesse processo, será ser mãe! Cuidar, educar, acompanhar, estar presente e fazer parte de cada coisinha que pra ela irá importar. Porque realmente, a gestação é algo muito estranho. Mas creio que no final de tudo isso, vai valer a pena!

Beijos, beijos e me contem aqui nos comentários (ou na ultima foto do Instagram) as opiniões e experiências de vocês. Vou amar saber! 😘

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s